Dia de DR: Vamos falar sobre pandemia

Foto: Reprodução/Freepik
O assunto não poderia ser outro. Vamos falar de pandemia e fim do mundo. Pra ser sincero com quem quer que esteja me acompanhando, onde quer que esteja lendo este texto, meus picos de ansiedade aumentaram muito nas duas últimas semanas.

O meu dilema é o mesmo de boa parte da população: a gente mal tem grana pro mês, pras despesas como água, luz, internet, que dirá para aguentar ficar sem salário durante uma pandemia. E aí você se vê entre a espada e a espada, porque na perspectiva a curto prazo é morrer de fome ou de Covid-19. Aliás, nem os nossos governantes sabem o caminho. Pra eles é "foda-se a saúde" ou "foda-se a economia", sem meio-termo, sem conciliação.

Agora, somando isso à enxurrada de informações (em sua maioria falsas), a ansiedade e angústia começam a andar de mãos dadas e devorar o cérebro de qualquer ser humano minimamente consciente.

Enquanto escrevo estas linhas, lembro de algumas obras pós-apocalípticas que apreciei há alguns bons anos. A que mais me marcou foi The Last of Us (2013), jogo originalmente lançado para o PlayStation 3. Aliás, é engraçado como a maioria das obras relacionadas ao fim do mundo abordam só o "depois". Sem parar pra pesquisar, é difícil lembrar algo que mostre o "durante" ou "antes".

Talvez The Walking Dead (2003) se aproxime disso, já que o protagonista, Rick Grimes, começa a ver a coisa, entra em coma e quando acorda o mundo "acabou", e tanto HQ quanto a série de 2010 focam na sobrevivência durante o "depois".

É difícil responder ao "fim do mundo" quando ele está começando. Talvez por isso seja raro, ou impossível, encontrar obras de entretenimento que abordem isso. Acredito que não devo ser o único com um profundo desejo de que ocorra um salto temporal, para que possamos analisar os erros e acertos da crise.

Qual a dificuldade de reconstruir a economia depois do fim do mundo? Se ele já acabou mesmo, o que vier é lucro. Mas enquanto o mundo não acaba, o que podemos fazer? Quem seguir? Aí está, não tem uma receita pronta. E fica cada vez mais difícil manter a sanidade.

Se você, assim como eu, também está repleto de dúvidas por conta da pandemia, até aqui este texto provavelmente não está sendo nenhum alento. Mas vamos lá, o mundo já passou por duas guerras mundiais, por epidemias de H1N1, Ebola, Peste Negra, e uma série de outras desgraças. E, para os cristãos, o dilúvio.

Tudo isso, e o mundo continua aqui. Não estou, de forma alguma, minimizando os estragos da Covid-19. Estou colocando em pauta que outros estragos aconteceram, outras situações colocaram a civilização como conhecemos em xeque. Talvez o mundo que a gente conhecia tenha de fato acabado, e o pós-pandemia seja a reconstrução da sociedade. O que podemos fazer é tentar continuar seguros, sãos e vivos. E também debater sobre o assunto. Que tal deixar sua opinião nos comentários?

Comentários