Como o Chromecast mudou meus hábitos de consumo de conteúdo

Esta era minha rotina toda vez que ia ver algum conteúdo em vídeo: abrir o site em que foi disponibilizado, setar o Internet Download Manager pra capturar o vídeo, fazer o download, converter para .mpg, transferir para um pendrive e posteriormente reproduzir em um DVD Player que tinha entrada USB. Uma experiência nada agradável e que às vezes demorava séculos pra ocorrer, quando o computador não esquentava demais durante a conversão dos vídeos e desligava.

Muitas vezes eu ia assistir aquele episódio maroto pós-filler de algum anime e quando conseguia ver um episódio já haviam sido lançados outros dois ao menos, o que me gerava uma tremenda preguiça.

O tempo passou e o hábito aos poucos começou a mudar. Do Anitube e Megafilmes migrei pra Crunchyroll e Netflix, porém nunca contratei planos de internet com uma velocidade realmente ok, e o tempo para consumir conteúdo foi ficando cada vez mais escasso. Ao invés de usar a TV, comecei a ver muita coisa no computador, depois no telefone, até que chegou a época em que não tinha paciência pra ver quase nada online e voltei a baixar tudo o que queria ver. Foi um dos pontos de ter me levado a adquirir um HD externo (papo para outra postagem) e pudesse lotar com absolutamente TUDO que quisesse ver posteriormente (e que nunca via, na real). Esporadicamente voltei a assistir seriados, uma vez por semana, e filmes aqui e ali, nada muito intenso.

Eis o bichim!


Eis que mais uma vez a roda do tempo gira e ganho de presente UM CHROMECAST!!!11!!ONZY!!11. Há algumas semanas meu amigo AND padrinho de casamento, Eduardo Pasqualin, me confiou a guarda de um lacrado Chromecast de primeira geração. O aparelho foi lançado em 2014, eu sei, e atualmente a segunda geração está no mercado, com a expectativa de que uma próxima venha por aí, mas até então eu não havia sequer cogitado a hipótese de adquirir um. O Eduardo havia me apresentado um Chromecast funcional faz tempo, e lembro de ter achado uma maravilha, porém o preço sempre foi um empecilho para minha pessoa, até ele me dar um novíssimo de presente.

Desde então a minha rotina de consumo de conteúdo tem sido basicamente procurar aplicativos compatíveis com o pequeno aparelhinho da Google. Minha atividade na Netflix cresceu absurdamente e muitas séries que estavam na minha lista há tempos desempacaram de vez (leia-se Narcos, Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage, Punho de Ferro e afins), pois a simplicidade de jogar o conteúdo pra TV sem maior esforço tem sido uma grande aliada da plataforma de streaming em minha humilde residência.

Outro aplicativo que passei a usar com frequência é o YouTube. Há tempos usava o site apenas pra colocar aquelas playlists em dia de faxina. Pra ser bem sincero, quem montava/monta essas playlists é a minha digníssima esposa. Porém desde a chegada do aparelho tem sido um dos sites/apps que mais uso, tendo passado inclusive reddit e Facebook na minha lista pessoal. Mesmo quando não estou com o Chromecast plugado na TV abro o aplicativo pra ver se tem alguma coisa nos canais que sigo (mas não é desta vez que vou voltar a produzir conteúdo pro YouTube). Enfim, desde a chegada do Chromecast na minha casa tenho passado cada vez mais o tempo que posso usando o dispositivo, e até separei uma pequena lista dos apps que uso com mais frequência:


Já citado no parágrafo anterior, ele é o rei do dispositivo. Ainda mais depois que o YouTube disponibilizou aluguéis de filmes e afins, tenho usado cada vez mais. Indispensável e sem a necessidade de mais comentários.


Mais um aplicativo batido na lista. É a plataforma paga de streaming mais utilizada na atualidade e que conta com centenas de filmes e séries. Uma feature legal de se utilizar a Netflix no Chromecast é que se você colocar uma série, por exemplo, os episódios seguem tocando até não restar celular/tablet algum conectado à mesma rede ou você decidir trocar de atração.


É a solução que uso para ouvir podcasts diariamente e permite que transmita o conteúdo armazenado no telefone/tablet para o Chromecast. Bem útil, por sinal.


Quem não tem Netflix, caça com Crackle! É o serviço de streaming de filmes da Sony. É totalmente grátis e conta com um catálogo de filmes não tão amplo, porém acredito ser uma das melhores alternativas para quem não tem assinatura de algum outro serviço.

Infelizmente é um aplicativo não disponível de forma oficial para o Brasil (há outras alternativas a ele disponíveis na Play Store). Trata-se de um aplicativo que promete transformar a TV em despertador completo e tem umas opções bem bacanas, como usar um leitor de QR Code pra confirmar que de fato o usuário acordou.



Este conta com alguns features bem bacanas, como poder transmitir para a TV qualquer conteúdo armazenado no smartphone/tablet. Ele também dá a opção de jogar na TV apenas o vídeo, enquanto o áudio sai pelo telefone. É bacana principalmente pra consumir algum conteúdo tarde da noite ou bem de manhãzinha, dando a possibilidade de ver as imagens pela TV e escutar o que acontece diretamente por algum fone de ouvido, sem atrapalhar vizinhos e afins. Algumas vezes já fiz isso, inclusive.  

Conclusão

No fim das contas, utilizar o Chromecast tem sido uma descoberta nova a cada dia. Listei acima alguns dos apps que mais uso, fora a função de espelhar a tela diretamente na TV, que muitas vezes torna mais emocionante meus campeonatos de Clash Royale e Vainglory. A princípio eu era bem cético em relação ao dispositivo, e hoje noto que é uma mão na roda quando vou consumir conteúdo e traz uma certa praticidade.

Há quem diga que a segunda geração resolve um dos maiores problemas da primeira, que é certa lentidão ao inicializar o conteúdo, mas ainda não tive acesso a um para poder me certificar disso. No mais, o Chromecast é uma compra recomendadíssima de minha parte. Espero que tenham gostado da listinha pessoal que compartilhei por aqui. Caso você tenha alguma, deixe nos comentários!

Comentários